Armazenagem e estocagem: conheça as diferenças!

Facebook
LinkedIn

Estoque e armazenagem são palavras conhecidas, mas apesar de parecerem semelhantes, são diferentes e não devem ser confundidas. 

Por isso, neste post, selecionamos a definição de cada uma delas. Afinal, ter conhecimento sobre ambas pode fazer a diferença na hora de evitar falhas na sua comunicação. Acompanhe!

O que é estocagem?

Estoque é a guarda permanente ou temporária de matérias-primas, produtos semiacabados ou até mercadorias prontas para a venda. Já o termo estocagem, relaciona-se à ação de acumular itens em estoque. 

Por conta disso, a estocagem é feita em diversas atividades, desde indústrias até lojas. Nesse contexto, a estocagem apresenta:

  • pouco dinamismo;
  • relação direta com fluxo de caixa, fornecedores, estratégias de vendas e marketing;
  • conceito mais subjetivo, relacionado principalmente com os itens que são depositados dentro do armazém.

O que é armazenagem?

A armazenagem, no entanto, tem uma concepção muito mais ampla. Uma vez que a estocagem é somente uma das atividades da armazenagem. 

A armazenagem é pautada por processos logísticos referentes a: 

  • distribuição de mercadorias; 
  • fluxo de produtos;
  • equipamentos e tecnologias utilizados;
  • embalagem;
  • retirada de itens; 
  • expedição de produtos.

Portanto, quando alguém cita a armazenagem, normalmente, está se referindo às diversas atividades dos pontos de distribuição de mercadorias e materiais.

Logo, qualquer atividade executada nos depósitos, centros de distribuição e almoxarifados fazem parte desse sistema. Por isso, a armazenagem conta com:

  • conceito mais amplo, envolvendo a estocagem;
  • dinamismo — cálculo de custos, movimentação e transporte dos itens, inventários; 
  • relação direta com almoxarifados, centros de distribuição, ciclo operacional.

Quais as vantagens da armazenagem? 

A armazenagem tem como foco a maximização da produtividade. Em outras palavras, ela busca, por exemplo:

  • promover melhorias aos serviços consumidores;
  • garantir a proteção e controle do sistema de eventuais perdas e avarias;
  • melhorar o aproveitamento de energia; 
  • otimizar a mão de obra; 
  • otimizar a utilização de equipamentos; 
  • aproveitar melhor o espaço disponível; 
  • facilitar o acesso às mercadorias. 

Consequentemente, a armazenagem ainda reduz os gastos e até impostos gerados no processo.

Veja também: qual a importância do planejamento estratégico para o seu supermercado.

A importância de trabalhar bem a estocagem e a armazenagem

Sem o cuidado de estudar como armazenar os seus produtos, além de organizá-los e distribuí-los, muitas empresas gastam mais do que deveriam. Um bom exemplo disso é que o armazenamento e a estocagem no agronegócio brasileiro estão crescendo a cada dia. Contudo, esse crescimento foi gerado por uma necessidade de reduzir despesas.

O Brasil produz cerca de 180 milhões de toneladas de grãos por ano. Em contrapartida, sua capacidade de estocagem, dispersa pelo território nacional, só dá conta de 140 milhões dessas toneladas. A partir disso, os produtores distantes dos silos de armazenagem têm gastos maiores, entre outros desafios.

Não por acaso, armazenagem e estocagem requerem análises e muitas técnicas de movimentação e de logística. Desse modo, não deixe de buscar informações para ampliar ainda mais a eficácia operacional e orçamentária do seu negócio. Até mais!

Veja outras publicações

O que é a curva ABC e como ela pode ajudar na gestão de estoque

Diversas empresas que trabalham com fluxo constante de vendas, chegam a ter problemas com o controle de estoque. Por isso, realizar uma gestão eficaz do seu estoque é essencial. Até porque, o desempenho das vendas também depende do seu mix de produtos ofertados. Nesse sentido, um dos métodos mais interessantes para acertar é usar a Curva ABC.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário